Penseira: Bacia de pedra rasa, com entalhes estranhos na borda, runas e símbolos. É um recipiente que serve para guardar pensamentos os quais ocupam muito espaço na cabeça de alguém.

Tag Archives: sonhos

… honestamente… Bem singelo!

Meu maiores sonhos hoje, são simplesmente uma vida minimamente sossegada. Onde eu tenha reconhecimento do meu trabalho, mas muito trabalho também, o possível de estabilidade financeira pra poder ter uma vida digna e espaço pra viver uma vida leve.

Quero me ver no futuro, com uma casa ou apartamento que simplesmente tenha uma varanda e uma rede, porque nos domingos, quando eu sentar pra pensar na semana e na vida, eu possa ter um mínimo de vento leve batendo no rosto nessa varanda.

Mas não quero só essa leveza toda, quero trabalho também! Quero poder fazer um bom trabalho naquilo que amo, e dando tudo de mim pra poder entregar ao público um bom serviço e a consequência, será um salário decente.

Quero poder viajar, mesmo que a trabalho, pra poder cruzar informações, cruzar fronteias do conhecimento, mas também conhecer culturas e opiniões diferentes da minha que me ajudarão a me compor uma pessoa vivida.

Quero poder espalhar o que sei e aprimorar sempre, porque acredito que um bom profissional nunca para, sempre estuda e sempre tem dúvidas de tudo e sobre tudo, com sede de conhecimento e muita curiosidade.

Quero poder sorrir o máximo possível, e nos momentos sérios, ter a frieza e sensatez para não cair na vibe ruim e saber levantar de modo digno quando as coisas saírem do controle (porque elas sempre saem e sempre irão sair, senão a vida seria monótona demais).

E mesmo com todo o trabalho e todo o momento de paz, quero estar com quem eu amo e que essas pessoas que eu amo, estejam felizes também, porque felicidade boa, é felicidade compartilhada.

 

No fim das contas, não to afim de um final de filme com casamento, casa luxuosa e viagens infinitas pelo mundo.. No final das contas eu só quero é ser feliz e grata!

Summer breaks

PS: iniciativa de texto por conta o livro “O Poder da Coragem”.

Advertisements

 

23-01-2018

Tudo acontece no tempo de Deus. Basta você acreditar e estar na vibração certa.

Desde que Lu Andrade apareceu no Popstar pela primeira vez, já fui encantada por sua voz e pelo seu carisma e conforme foi evoluindo nas fases, fui conhecendo uma cantora e pessoa de muita luz e autenticidade. Ela sempre foi a mais louca da casa e adorava isso nela.

Enfim, ela foi escolhida, deu no que deu e eu era muito fã do Rouge. Tão fã que na escola, eu fazia “shows” delas em que eu era a Lu (NINGUÉM PODIA TIRAR ISSO DE MIM) e “vendíamos” os ingressos (feitos de papelzinho) para os nossos  colegas de classe.

Porém, sua saída no grupo foi um baque muito grande na minha infância, pois quem eu mais admirava ia parar de cantar com as meninas que tanto admirava e a revolta foi tamanha, que não conseguia ouvir os demais CDs e muito menos acompanhar a carreira das meninas.

No retorno de 2015, não senti que havia sido um retorno real, pois sentia que faltava um grande pedaço. O pedaço mais importante pra mim e da mesma forma que foi em sua saída, não consegui sentir a mesma magia de antes.

Como disse nos posts anteriores, a vida me levou a um caminho de monotonia então não tinha mais sonhos singelos e mesmo quando pensava em algum, me boicotava dizendo a mim mesma que nunca iriam acontecer porque já passou o tempo. Mas a magia voltou no momento que eu vi a Lu com as meninas… O quebra cabeça estava completo e eu precisava ver essa mulher.

Tentei o que foi ao meu alcance.. Conheci pessoas, atazanei outras, passei madrugadas revivendo meus sentimentos, até no dia 22 de Janeiro de 2018, o Universo me mandou o sinal certo que precisava pra poder enfim realizar um sonho profundo do coração.

Descobri, completamente sozinha onde ela estava e resolvi ir no dia seguinte lá com meu amigo Renan (que por uma ironia do destino, tinha folga justamente nesse dia). Fomos, com muita ansiedade, muita esperança, mas muito medo de não dar certo, porém com o coração em paz pela tentativa.

Ficamos umas boas horas esperando, com o coração apertado na insegurança de ser ou não o dia mais importante das nossas vidas, até que um carro vira a esquina e Renan grita “São elas”…

Quando vi Luciana dentro daquele carro, com rostinho cansado, mas olhando a paisagem, só tremia e pensava se aquilo era real, mas ao mesmo tempo me reafirmava que era real e que era pra ser e eu estava ali.

As outras desceram do carro e foram falar com o pessoal que estava lá e enquanto isso, eu só olhei e esperei com as minhas mãos cheia de coisas: um brinco de presente, caneta e papel para autografo, o abadá dela e o coração explodindo de sensações. E para não fazer nenhuma besteira, me contive e só a olhei descendo do carro e abraçando os colegas, me perguntando e me respondendo se ela estava mesmo ali.

Quando ela veio até mim, eu mentalizei toda a energia boa e toda luz do universo e me entreguei naquele abraço que foi tímido, mas muito sincero pela espera de mais de 15 anos por esse momento. E foi então que me calei por alguns segundos..

Tentei falar sobre minha admiração, mas não consegui.. Olhei para o céu, respirei fundo e ela, com aqueles olhos cansados, mas com toda paciência do mundo, me ouviu falar sobre minha admiração por ela e agradecia.

Entreguei minha lembrancinha e logo de cara ela foi firme em falar que não precisava, mas eu não tinha como chegar até ela sem deixar um pedacinho de mim, e foi então que ela abriu e agradeceu de uma forma tão doce, que me preencheu a alma. Leu o recadinho singelo que escrevi (Uma flor para uma flor. Com carinho, Tamires) e agradeceu olhando para o presente de forma calma e doce. Até que olhou pra mim e perguntou se poderia já usar.. Mas é claro né. Eu achando que ela levaria para casa e guardaria.. Não, justo nesse dia, ela estava sem brinco e pediu pra já colocá-lo. Que carinho!!

Foi então que no meio do turbilhão de sensações, pedi a ela que assinasse meu calendário e ela abatida pelo cansaço, perguntou “mas primeiro me diz o seu nome né?”. Me apresentei, discutimos a grafia do meu nome (porque virginiana gosta de fazer tudo certinho) e ela assinou com todo o carinho, amor e atenção enquanto eu estava ofegante e tentando controlar minha emoção para não estragar o momento.

Meu amigo, por sua vez, reparou na minha falta de reação e pediu que tiramos nossa foto, já que eu estava tão perdida que nem consegui administrar a situação. Foi então que registramos.. Mas ainda sim , nosso momento não tinha acabado (GRAÇAS A DEUS). Foi então que consegui contar toda minha história para ela, toda a minha admiração, como era na escola, como tentei conhece-la por intermédio da Karol (a outra tia da Bia – sobrinha dela), pedi desculpas pelo excesso de mensagens no inbox, pelos e-mails e até tentei faze-la lembrar do Feliz Natal que ela me enviou, mas ela deve ter feito isso tantas vezes que não se lembrou, além do cansaço que a impedia de pensar muito sobre uma memória dessas.

Então agradeci pelo retorno ao grupo, agradeci pela sua persistência e pela escolha de poder voltar, além de parabenizar pela música “Amanheceu” que apesar de ser feita para o seu pai, também me toca quando lembro do meu. E nessa hora, minha voz quis embargar, mas me segurei, enquanto ela lembrava com carinho da letra e olhava para o meu presente.

Foi então que aconteceu o momento mais simples e mais encantador daquele momento, que guardarei com todo o carinho do mundo pelo resto da minha vida…

Ela falou que ia precisar entrar para o ensaio e começou a se despedir dizendo que estava cansada e que ainda tinha mais um round a cumprir. Com isso, desejei um bom ensaio e disse que entendia o seu lado de artista porque eu sou artista também e sei o quanto é puxada a rotina pré-estreia. Aproveitei para agradecer o esforço que ela estava fazendo e desejei tudo de melhor pra ela neste período porque ela merece depois de tanto sacrifício e ainda complementei dizendo que eu e meu amigo Renan dançávamos juntos, então entendíamos tudo o que elas estavam passando, e que estávamos vivendo nosso “hiato” artístico e essa volta delas representava muito para nós como uma chama de esperança para a retomada dos nossos próprios sonhos.

Ela, com toda a sua graça e doçura agradeceu e disse pra nós não perdermos a esperança, porque uma hora voltaríamos sim, era só ter fé e confiar que nosso momento ia chegar…

Assim, agradeci mais uma vez o carinho e as belas palavras dela, desejando o melhor possível na turnê e na carreira das meninas enfatizando que elas mereciam tudo que a vida tem trazido e muito mais. Luciana, ficou bem emocionada e agradeceu profundamente dizendo que é muito bom receber esse tipo de carinho. Com isso, no abraçamos mais uma vez e pude sentir mais ainda seu carinho misturado com o cansaço, mas com a certeza de que ali, eu já era uma outra pessoa.

Ela foi e eu fiquei processando aquele momento mágico que vivi conversando a Aline, que também é de uma energia revigorante e que preenche a alma de alegria.

Ela me fez lembrar de uma outra amiga minha, a Jennifer Alves (que também está arrasando com uma confecção de biquínis chamada “Use Sereiando”) e me fez sentir que por mais que a gente admire, elas transmitem essa paz e essa energia, simplesmente por serem elas mesmas, por se aceitarem como são, por olharem a vida com leveza, com amor e com perdão.

E nossa… Como fiquei encantada…
Eu não conseguia conter meu sorriso solto e minha vontade era de sentar no chão e relembrar cada segundo ali mesmo, no meio da rua.. Sentir aquele cheirinho de bebe, ouvir aquela voz suave e meiga e poder abraça-la e cuidar dela como se ela fosse um cristal que não pode pisar no chão de tão preciosa.

Mas a mensagem real que quero deixar, é que NUNCA deixem de sonhar e tenham FÉ em Deus, pois quando você crê, ele coloca o inimaginável na sua frente e te proporciona momentos inesquecíveis.

Pra mim foi muito além do abraço da Lu, da conversa e de uma foto, meu momento com ela, foi Deus dizendo através de sua voz, que minha missão ainda não terminou… Que eu ainda tenho algo a oferecer com a minha arte, com a minha paixão, com a minha dança, é só crer nEle que eu volto.

E relembrando esse momento, é possível sentir o teu amor e uma fé inabalável, além da certeza de que todas as decisões que sofri muito para tomar, serão para um bem maior no futuro, assim como foi pra ela. Porque eu realmente acredito e senti a dor de quando ela precisou sair do grupo, mas a vida proporcionou o momento certo para que esse retorno acontecesse, só bastava ela crer e hoje, eu creio!

 

Lu Andrade, obrigada por ser a LU-z da minha vida! Amo você! ❤


large2Depois de precisar viver a vida adulta e fazer algumas escolhas (dolorosas) pra construir minha carreira, confesso que me vi sem sonhos…

Passei bons anos, apenas existindo e fazendo coisas só porque tinha que fazer, sem propósito nenhum e sem conseguir ter tempo pra saber se era mesmo aquilo que eu queria, só pelo fato de que “é preciso seguir a vida e construir alguma coisa”. Trabalhava, estudava e não conseguia fazer o que mais gostava na vida, que é dançar. Mas, como sabemos, artista na maioria das vezes precisa escolher entre comer e dançar.

Enfim.. Tive que viver um mundo chato e monótono dos compromissos e problemas.

Mas quando você abre a sua mente e seu coração, a vida te dá uma chance de poder receber um insight que pode mudar sua visão de vida, ou pelo menos dar um upgrade no seu propósito.

A Tamires criança, sempre teve o sonho de conhecer muitas pessoas: os N’Sync, o Br’Oz, as Spice Girls, Daniel Radcliffe, JK Rowling e as Rouge, e sempre das maneiras mais inesperadas, porque nunca tive como pagar por um ingresso ou viagem pra vê-los, então sonhava que um dia eu ia ganhar uma promoção (mas nunca participei de nenhuma, porque não tinha computador nem nada) e adormecia pensando em cada detalhe.

Mas crescendo, via que esse sonho ia ficando esquecido e no lugar entrava os DESEJOS de me formar, comprar um carro, viajar, ser rica e etc, coisas de adulto normal.

Só que hoje, diante da volta do Rouge, 15 anos depois, percebi que é possível sonhar mesmo adulta.. É gostoso lembrar do quanto a gente era persistente e crente nas nossas “baboseiras”. Hoje, percebo que não é baboseira não.. Sonho de criança é um negócio muito sério, vem do coraçãozinho mesmo.

E cá estou eu, reencontrando minha essência depois de realizar um dos meus maiores sonhos da infância, que foi poder abraçar Lu Andrade.

Com isso, pude perceber que sonhos nutrem… Sonhos rejuvenescem.. Sonhos fazem nossos olhos brilharem de uma maneira diferente, que transcende e reflete em um sentido de vida mais vivo.

Portanto sonhem, sonhem e sonhem porque não paga e faz bem!

 

ps.: sobre a Lu? Aíé um post inteiro só pra ela! ❤


 

large

Descobri que meu propósito é conhecer coisas novas, viajar, vivenciar coisas diferentes pra poder multiplicar da maneira que posso…

Deve ser por isso que um dia quis ser professora: pra ensinar o outro o que sei.

Quis ser bióloga: para descobrir o que esse mundão tem de diferente na natureza.

Quis ser publicitária: pra desenvolver novas idéias sobre tudo e todos.

Quis ser jornalista: pra poder conhecer um pouco de tudo e compartilhar a minha visão sobre.

Quis ser diplomata: pra descobrir as diferentes culturas do mundo e lutar por elas.

Quis ser bailarina: pra descobrir o poder transformador da arte e propagar pelo mundo.

Quis ser profissional de educação física: pra poder aprender sobre o poder do nosso corpo e do nosso organismo e propagar o quanto somos e podemos ser fortes em qualquer aspecto. Seja pelo esporte, seja pela saúde.

O que vier na minha vida hoje, é lucro, porque através do que escolhi quero ser conhecedora e compartilhadora de conhecimento.

Quero, através do que vier na minha vida, conhecer o mundo e as culturas que estão por ai.

Quero, através do que vier na minha vida, experimentar coisas novas.

Quero, através do que vier na minha vida, viver o mundo com ele é.

E não preciso de uma profissão especifica para isso, pois eu jurava que precisaria.

Basta eu ser quem eu sou e ter expertise para desenvolver um trabalho que me proporcione propaga-lo dessa maneira.

 

Taí minha última reflexão com 24 anos de idade…

Deixei de ser uma jovem adulta e estou me tornando uma adulta de fato, com responsabilidades, novos sonhos e novas realidades para a minha vida.

Então vou ali buscar meus novos objetivos.


Demorei um tempo pra entender todos os sentimentos que estão se passando dentro de mim nestes Jogos Olímpicos do Rio 2016, mas acho que só depois de ouvir o nosso grande hino nacional na Medalha de Ouro do vôlei foi que toda a emoção acumulada tomou conta de mim..

Emoção de poder ter ido conferir com todo o medo de não dar conta por causa do ano passado, emoção de ter feito parte da torcida que os conduziu a essa final quando assisti Brasil e Argentina nas Quartas de Final, emoção de sentir a vibração do meu namorado recém formado, desacreditado da profissão e da carreira frente a tantas dificuldades a grande emoção de poderá fazer parte desse sonho de viver uma competição olímpica no quintal de casa.. Cidade Maravilhosa.. Bênção do Cristo Redentor!

Me faltam palavras de tanta emoção..

Só consigo chorar e acreditar que a sementinha foi plantada e com fé em Deus, no esporte e na minha profissão, o esporte mudará mais vidas do que daqueles que ali competiam..

Vidas como de Rafaela Silva que aprendeu seu esporte na favela, dos meninos da ginastica que já tiraram dinheiro do bolso pra pagar os custos do esporte e tantos outros exemplos..

Mas sem esquecer das dificuldades que gente como a seleção feminina de futebol enfrenta como a falta de apoio e financiamento que só é investido no futebol masculino. Não sou ninguém para desmerecer o trabalho deles, mas existem muitas potencias e belezas que nosso pais não vê e não conhece e meu papel como futura Profissional de Educa é estampar esses talentos na cara do brasileiro pra gente vibrar, cantar, festejar e apoiar seja ele da nosso pais, ou um companheiro refugiado!

Viva o esporte!

Viva ao Brasil!

Viva as Olimpíadas!

Viva ao nosso mundão!

Porque já bem diz o slogan desse jogos: “Um novo mundo” e é isso que espero para os meus sobrinhos, filhos, netos..

Juntos somos um. Juntos somos o time Brasil!!


 

Interessante como meses podem mudar sua vida. Podem mudar seu modo de encarar as coisas e podem mudar atitudes suas.

Posso dizer que a um ano começava um dos piores semestres da minha vida. Semestre com muito estresse, muito chororo, muita ansiedade e horas sem dormir, mas diante de tudo isso, percebi que não merecia e não devia me comportar desse jeito, pois só me definharia mais, sabendo que esse começo de ano seria mais hard ainda com a faculdade.

Foi então que passei férias medianas de verão meditando sobre como iria lidar com toda essa bagunça que seria “o pior semestre da faculdade” segundo os veteranos.

E foi aí que me deu o start.. 

Vou me estressar e procurar ser perfeita em tudo? Não!

Vou me matar sem dormir e ter merrecas de notas? Não!

Vou desrespeitar colegas e xingar sem previsão? Não!

E aí que o baque foi maior.. Quem eu achava que iria me apoiar, na verdade me apunhalou e me fez enxergar verdades que nunca poderia ter enxergado antes.

Doeu? Claro que doeu, mas através disso tudo que estou aqui hoje, plena, satisfeita e muito mais ágil e consciente da minha vida.

Falta uma semana para que a loucura comece novamente. Pode ser que eu não mantenha o feeling do último semestre e possa enlouquecer um pouco, mas aprendi a me organizar, fazer o que posso e o melhor… Respeitar o tempo!

Diante disso, posso afirmar que tive as melhores três semanas de férias da minha vida!

Vi e curti MUITO meus sobrinhos, dormi e descansei bastante, terminei de ler dois livros e to caminhando pro meio de um terceiro, terminei duas series, vi mais de 10 bons filmes e melhor… Realizei coisas inimagináveis e sonhos de criança como ver a tocha olímpica e acompanhar o lançamento mundial de pertinho da saga que mais amo no mundo junto de quem eu amo!

Estou plena e satisfeita com as coisas que tive que viver dentro desse um ano e espero poder aproveitar mais e mais essas oportunidades, sejam boas – que trazem sorrisos -, sejam ruins – que trazem aprendizado.


Por Lucas Salles 

Às vezes parece que a maior dificuldade que temos na vida é encontrar algo que nos motive a viver. Eu, que só tenho meus vinte e dois anos, já me sinto cansado.

Não cansado de viver, mas cansado de encontrar tanto problema em viver e nenhuma solução (motivação). E olha que eu não crio problema. Eu só encontro. Se eu criasse problemas, seria, de fato, um problema meu. Mas a única coisa que eu faço para ter esses problemas é viver. Basta viver para ter milhões de coisas com que se preocupar.

E o mundo não coopera muito, né? Cada vez mais a dificuldade de “dar certo” aumenta, cada vez mais tributos e impostos surgem, cada vez mais a insegurança nos amedronta… 

Tá difícil pra quem quer viver. E não estou falando da situação econômica/política/de falta de segurança que estamos vivendo. Não. Tô falando da dificuldade que temos cada vez que abrimos os olhos pela manhã. É óbvio que fazer um texto reclamando sobre a dificuldade não faz com que a própria dificuldade desapareça. Mas, na minha opinião, alguns (eu, principalmente) precisam escrever para não explodirem em sua própria tristeza/depressão momentânea.

“Mas, que dificuldades são essas?”. A dificuldade de não ter mais um pai/mãe do seu lado, a dificuldade de não conseguir um novo (e único) amor, a dificuldade de não conseguir andar com os próprios pés, a dificuldade de aceitar uma traição (seja ela qual for), a dificuldade de se adaptar a uma nova realidade, a dificuldade de conseguir um estágio novo, a dificuldade de conseguir dinheiro para viver, a dificuldade de não saber o que acontecerá amanhã, a dificuldade de saber que ainda falta muito para que algumas coisas que você quer aconteçam, a dificuldade de se criar, a dificuldade de não ter amigos, a dificuldade de não chorar com o filme Forrest Gump, a dificuldade de saber que talvez você tenha feito “algumas” coisas erradas, a dificuldade de não ter seu trabalho reconhecido, a dificuldade de não ter Deus sorrindo para você, a dificuldade de não conseguir engravidar, a dificuldade de não conseguir mais ouvir a palavra “não”…

Eu não queria que as coisas fossem mais fáceis. Não. Assim não teria graça. Só queria que as pessoas fossem mais simples. Por que, no fundo, no fundo, quem complica o mundo somos nós, seres humanos metidos a inteligentes. Todo mundo aqui é burro. Burro pra caralho. Se algum de nós fosse inteligente, estaria morando em Marte. 

Todos nós, seres humanos egoístas e maldosos, somos uns idiotas em relação a vida. Complicamos cada passo que damos. Quando achamos que estamos próximos da felicidade absoluta, na verdade, estamos mais longe da realidade. Nós nos alimentamos de ilusão. E o pior: nós gostamos disso.

Se houvesse um jeito mais simples de viver, independente do dinheiro, do político e da polícia que anda pelas ruas, eu escolheria essa vida. Só para experimentar. Imagine como está a situação para quem não tem como/não sabe escrever. Se a escrita tem o poder de libertar, ela deveria ser regra na vida de todos nós. Um “vício” disfarçado de “hábito”.

Não sei se é a posição dos planetas que faz a gente se sentir assim, nem sei se é a falta de um rockeiro depressivo para representar nossos sentimentos numa música, mas sei que falta algo que nos motive. Urgentemente. Algo que nos faça lembrar que estamos vivos. Temos paixão, Disney, Nutella, mas, mesmo assim, falta algo que nos lembre do nosso real propósito na Terra. Viver. E, é claro, ser feliz. Ou pelo menos morrer tentando.



Quatrode15

Popularizando a ciência do treinamento

Um Travesseiro Para Dois

tudo é especial se quisermos que seja.

Red Pointe - Blog de ballet

Um blog com dicas de ballet, ballet adulto, músicas de ballet (repertório) e muito mais!

Blá

Poesias, Crônicas, Contos

Suspiros & Desatinos

um pouco de amor. um pouco de humor.

Mundo Q

Entre Estantes e Espelhos