Penseira: Bacia de pedra rasa, com entalhes estranhos na borda, runas e símbolos. É um recipiente que serve para guardar pensamentos os quais ocupam muito espaço na cabeça de alguém.

Tag Archives: eu

… honestamente… Bem singelo!

Meu maiores sonhos hoje, são simplesmente uma vida minimamente sossegada. Onde eu tenha reconhecimento do meu trabalho, mas muito trabalho também, o possível de estabilidade financeira pra poder ter uma vida digna e espaço pra viver uma vida leve.

Quero me ver no futuro, com uma casa ou apartamento que simplesmente tenha uma varanda e uma rede, porque nos domingos, quando eu sentar pra pensar na semana e na vida, eu possa ter um mínimo de vento leve batendo no rosto nessa varanda.

Mas não quero só essa leveza toda, quero trabalho também! Quero poder fazer um bom trabalho naquilo que amo, e dando tudo de mim pra poder entregar ao público um bom serviço e a consequência, será um salário decente.

Quero poder viajar, mesmo que a trabalho, pra poder cruzar informações, cruzar fronteias do conhecimento, mas também conhecer culturas e opiniões diferentes da minha que me ajudarão a me compor uma pessoa vivida.

Quero poder espalhar o que sei e aprimorar sempre, porque acredito que um bom profissional nunca para, sempre estuda e sempre tem dúvidas de tudo e sobre tudo, com sede de conhecimento e muita curiosidade.

Quero poder sorrir o máximo possível, e nos momentos sérios, ter a frieza e sensatez para não cair na vibe ruim e saber levantar de modo digno quando as coisas saírem do controle (porque elas sempre saem e sempre irão sair, senão a vida seria monótona demais).

E mesmo com todo o trabalho e todo o momento de paz, quero estar com quem eu amo e que essas pessoas que eu amo, estejam felizes também, porque felicidade boa, é felicidade compartilhada.

 

No fim das contas, não to afim de um final de filme com casamento, casa luxuosa e viagens infinitas pelo mundo.. No final das contas eu só quero é ser feliz e grata!

Summer breaks

PS: iniciativa de texto por conta o livro “O Poder da Coragem”.

Advertisements

 

large

Descobri que meu propósito é conhecer coisas novas, viajar, vivenciar coisas diferentes pra poder multiplicar da maneira que posso…

Deve ser por isso que um dia quis ser professora: pra ensinar o outro o que sei.

Quis ser bióloga: para descobrir o que esse mundão tem de diferente na natureza.

Quis ser publicitária: pra desenvolver novas idéias sobre tudo e todos.

Quis ser jornalista: pra poder conhecer um pouco de tudo e compartilhar a minha visão sobre.

Quis ser diplomata: pra descobrir as diferentes culturas do mundo e lutar por elas.

Quis ser bailarina: pra descobrir o poder transformador da arte e propagar pelo mundo.

Quis ser profissional de educação física: pra poder aprender sobre o poder do nosso corpo e do nosso organismo e propagar o quanto somos e podemos ser fortes em qualquer aspecto. Seja pelo esporte, seja pela saúde.

O que vier na minha vida hoje, é lucro, porque através do que escolhi quero ser conhecedora e compartilhadora de conhecimento.

Quero, através do que vier na minha vida, conhecer o mundo e as culturas que estão por ai.

Quero, através do que vier na minha vida, experimentar coisas novas.

Quero, através do que vier na minha vida, viver o mundo com ele é.

E não preciso de uma profissão especifica para isso, pois eu jurava que precisaria.

Basta eu ser quem eu sou e ter expertise para desenvolver um trabalho que me proporcione propaga-lo dessa maneira.

 

Taí minha última reflexão com 24 anos de idade…

Deixei de ser uma jovem adulta e estou me tornando uma adulta de fato, com responsabilidades, novos sonhos e novas realidades para a minha vida.

Então vou ali buscar meus novos objetivos.


Imagem de book, Dream, and girl

Precisei ler uns 3 textos meus de 4 anos atrás pra ver o quanto mudei e o quanto o “ser adulto” pode nos tirar o que é de bom nosso.

Era sonhadora, era doce, era decidida e persistente.

Hoje sou insegura, mais confusa e muito mais preguiçosa.

O que aconteceu comigo nesses últimos 4 anos?

Cadê aquela sonhadora de antes?

Não é porque enfim estou vivendo meu conto de fadas amoroso que tenho que me perder das coisas que sou e de quem sou!!

Cadê eu??

Deve estar perdida nos afazeres, dividas, trabalhos e uma nova vida que não é a que eu quero, mas não porque é ruim, mas é porque ainda não me achei nela.

Entretanto, já diziam os psicólogos. O primeiro passo para a mudança, é a percepção do que te incomoda, dai vem a aceitação e enfim você começa a mudar.


Sem título

Eu sei que esse não é o perfil de post do Mochileira, mas to passando pra indicar um site maravilhoso pra você que é curioso nessas coisas de astrologia, signos, planetas e afins.

Depois de 23 anos de existência, enfim entendi como eu sou e como lido com as coisas da vida, depois que li meu mapa astral completo pelo site Astrolink.com.br

Nunca vi um mapa tão completo e explicadinho como esse e pude analisar aspectos essenciais da minha existência, como o fato de estar aqui escrevendo no blog expressando as minhas confusões, felicidades, descobertas e experiências.

Cada falha, cada detalhe, cada aspecto sobre meu mapa, me fez perceber que apesar dos outros me julgarem, reclamarem e eu mesma ficar me cobrando sobre tudo, faz parte de quem eu sou.

Se tem coisas pra melhora? É CLARO!

Acabei por notar que as coisas que eu achava que era “certo” são aspectos negativos meus que podem ser transformados em aspectos positivos que só farão com que eu seja uma pessoa melhor e evoluída.

Toda a minha confusão, meu 8 e 80 para as coisas. O senso de justiça, o aspecto artístico, econômico e até mesmo todo o egoísmo e prepotência faz parte de mim mesmo, mas através disso, procurarei analisar cada palavra e cada passo meu pra me tornar cada vez mais um espirito evoluído não só para os outros, mas claro… Pra mim mesma!

Eis meu mapa…

natal_wheel


Ela

“Não vai te deixar entender a coisa toda de sorrir pro mundo e reclamar que anda sozinha.” – Daniel Bovolento

Imagem de girl, sweater, and vintage

Curiosamente estava num momento bem bad desse meu início de férias em que me vi sozinha, sem amigos, sem roles e coisas que pessoas da minha idade normalmente fazem, ainda mais depois do sonho que tive que estava numa festança, cheia de amigos, cheia de sorrisos e cheia de vida, mas me encontrei em casa, no frio, sozinha e silenciosa.

Já estava acreditando que minha vida é uma droga e que nunca fico satisfeita com nada, pois sempre acharei pelo em ovo, mas depois dessa frase percebi que sou assim mesmo.

Uma pessoa sempre em busca de alguma coisa, e mesmo em busca, que sempre quer achar o fim da linha, sempre quer conclusões e resultados, mesmo diante de tanta indecisão que é a minha vida.

Isso responde minha grande inquietação de não saber o que eu quero da vida. 23 anos na costas, quase dois anos de faculdade e só quero realizar meus sonhos infantis de conhecer a Disney, ir pra Londres e quem sabe casar com Daniel Radcliffe.

Mas por mais infantil e estranho, essa sou eu… A velha que parece criança, que age como adolescente e tem pensamento mais adulto do que parece.

São muitos eus pra administrar e me encontro sempre confusa, mas isso faz parte de mim, e no fim das contas eu só quero um colo pra chamar de meu no fim do dia, mas que esse mesmo colo me puxe os cabelos e beije meu pescoço forte nos momentos de mais intensidade.

Dificil lidar comigo? Sei bem como é, mas acho que é esse meu encanto.
Me descobrir sempre e sempre…

 


largeEu não sei porque eu fico nessa luta desesperadora de querer ser sempre a melhor em tudo, o destaque e a pessoa influente, mas sempre me frustro porque estou “na média” das coisas.

Mas não que isso seja negativo, porque o parâmetro de relevância é muito relativo. O bom numa teoria, as vezes não é tão bom assim na prática. Mas no meu caso, sinto que preciso aceitar em ser apenas…..

Nem existe palavra pra descrever, porque a minha vida inteira eu nunca fui a “completa e irritante sabichona” like Hermione Granger, mas sabe quando você tem um valor fundamental nas coisas? Como se as pessoas ao perceber a ação, ato, circunstancia, sei la que raios, olham pra você falam “Muito obrigada, você ajudou muito”, “você é competente”.

“Não existe alguém como você”…

Acho que é isso.. Não adianta pensar em parâmetros de genialidade se eu sou uma parcela avulsa de coisas boas que agregam as pessoas. Mas ainda sim, é muito difícil não comparar com os outros.

Só que a minha vida é completamente diferente da dos outros, meu histórico é diferente, minhas experiências são diferentes, até MINHA IDADE é diferente…

Estou no primeiro ano de faculdade com 23 anos.. Não parece, mas é! E existem pessoas ao meu redor com 18 anos.. Uma puta diferença de vivencia de vida que ninguém nunca pode comparar.

Então acho que é isso.. Pra que pensar em ser boa, em ser reconhecida por fatos sendo que posso simplesmente ser única do meu jeito?


Hoje tive uma conversa bem franca com a minha mãe e diante dessa conversa comecei a me ouvir falar e nossa… Como as coisas mudam de um ano para o outro.. E que bom não é? Imagina termos a mesma mentalidade e atitude sempre, como seria? BORING!

Fiquei analisando minhas condições no ano passado e minhas decisões ao longo do ano que se passou. Foi um ano financeiramente difícil, mas foi um ano de grandes decisões num curto espaço de tempo.

Outra coisa que me fez pensar, é que uma colega minha (que não via há muito tempo), comentou que sempre acreditou que eu seria a primeira da escola a entrar na faculdade, e hoje, ela esta com 2 filhos terminando a dela e eu estou aqui decidindo se caso ou se compro uma bicicleta. rsrs

Para muitos, isso poderia soar como algo ruim, porque a pessoa “evoluiu” em 5 anos pra cá e eu fique estagnada, mas eu vejo diferente, porque eu escolhi viver coisas que essa pessoa não viveu. Cada um tem mérito e cada um, fez suas escolhas.

Tive anos ruins e cheio de decisões que, hoje, eu não tomaria, mas estas serviram para que eu desenvolva meu senso critico, para que eu tenha certeza do que quero fazer pro resto da vida e ter certeza das minhas condições de vida.

Citando a minha maneira, o querido Alvo Dumbledore, digo que “para uma mente bem estruturada ‘decisões’ são apenas aventuras seguintes” e eu fui observar as condições de minha vida para assim, estruturar minha mente para as novas escolhas e novas aventuras que escolhi viver esse ano.

Não consigo me imaginar como antes.. Sou uma pessoa completamente nova e a prova disso é a minha atual capacidade de conseguir conversar com a minha mãe. Vocês não sabem o quanto isso me deixa satisfeita…

Me sinto mais mulher, mais critica, mais autentica, mais madura e gosto muito disso. Cada vivência minha, foi para que eu aprendesse a ser e conviver com quem eu sou e como estou me divertindo com isso.

Tenho agradecimentos especiais às pessoas que mais estiveram presentes na minha vida e são elas o Vinicius (meu amor lindo) e a Josi (minha psicóloga linda) que por uma ironia do destino, apareceram exatamente na mesma época e deram essa empurrada nas minhas decisões. Não digo que foram vocês que me mostraram o caminho de fato, mas tenho certeza que foram vocês que estiveram lá me aconselhando e estimulando para que EU tome minhas decisões por mim para o bem de todos. Valeu pelas broncas, pelo ombro pra chorar, pelas palmas nas conquistas (e olha que pra eu decidir algo, tem que ter paciência, porque só vocês sabem da minha indecisão) e por estar sempre por perto e me ouvindo.

Muito obrigado por esse quase 1 ano!! ♥



Quatrode15

Popularizando a ciência do treinamento

Um Travesseiro Para Dois

tudo é especial se quisermos que seja.

Red Pointe - Blog de ballet

Um blog com dicas de ballet, ballet adulto, músicas de ballet (repertório) e muito mais!

Blá

Poesias, Crônicas, Contos

Suspiros & Desatinos

um pouco de amor. um pouco de humor.

Mundo Q

Entre Estantes e Espelhos