Penseira: Bacia de pedra rasa, com entalhes estranhos na borda, runas e símbolos. É um recipiente que serve para guardar pensamentos os quais ocupam muito espaço na cabeça de alguém.

Feliz ano velho?

largeSenti tantas esperanças esse ano e fui tantas vezes boicotada que nem sei como imaginar como será esse ano de 2017…

São tantas esperanças renovadas, tantos objetivos, tantos sonhos que depois desses dois anos não sei o que pensar..

Só consigo rezar com todas as minhas forças para que Deus, Alá, Deusa, Ganesha, Nossa Senhora Aparecida, São Longuinho e sei la mais quem, que meus sonhos plantados e não realizados durante esse ano, se realizem no próximo.

É quase um apelo desesperado para que enfim as coisas entrem nos trilhos, porque já estou cansada de tanta, mas tanta confusão na minha vida desde o dia que escolhi entrar na faculdade.

Não.. Não estou nem um pouco arrependida dessa decisão, porque de fato foi a melhor decisão que fiz em 5 anos de ócio acadêmico, mas desde então, minha vida só vai pro lado que não escolho..

Engordei.. Me estressei.. Fali… Tive uma série de imprevistos malucos… Continuo pobre, mas não perdi a vontade de sonhar, mesmo sabendo que muitos desses sonhos podem ser ofuscados pelas preocupações do dia a dia.

E depois desse 2015 parte 2, o que pensar? Ser a pé no chão que precisa ser fria pra não se frustrar e se machucar, ou arriscar de novo a sonhar e acreditar que coisas boas estão mais perto do que nunca agora?

Porque não é possível que depois de tanta desgraça e coisas chatas, a luz não esteja me esperando pra colorir meus dias…

Continuo no aguardo..

Crítica Cursed Child – A história 19 anos depois…

Fomos pegos de surpresa que após JK Rowling ter batido o pé afirmando que Harry Potter acabou em “Reliquias da Morte”, no ano passado fomos informados que haveria uma peça de teatro contando a história pós Voldemort.

E claro, como fã avida que sou, esperei ansiosa pelo desfecho que ela poderia dar a um Harry, Rony e Hermione, pais, adultos e trabalhadores do mundo mágico.

Mas ao ler Cursed Child, confesso que me peguei bem decepcionada com o rumo que a história se tornou.

harry-conversando-com-o-quadro-de-dumbledore

Sabemos que o roteiro da peça não é totalmente escrito pela JK e só quem é muito fã acaba por realmente notar que de fato, ali não tem a mão dela.

“Ahh mas ela aprovou”, sim. Mas de fato não tem dedo dela ali.

Falas estranhas, discursos melosos, um Harry imaturo e insensível com o filho… Esse é o Harry que conhecemos mesmo?

Malfoy admitindo solidão e dizendo o quanto é difícil ser ele.. HAM?? Em que mundo mágico estamos??

Claro que existem momentos que vemos a cara dela no meio, quando relemos discursos de Dumbledore ou passagens reais da saga original, mas infelizmente, tenho que admitir que a história me lembra as fanfics que brincávamos de criar.

Não consegui engolir o desfecho final da história e me dói acreditar que aconteceu o que aconteceu, porque nunca imaginei JK Rowling deixar que a história terminasse assim…

“Ahh mas a peça é diferente”, sim.. Não vou mentir que ler um roteiro é completamente diferente de ler um romance. Até porque quem viu a peça, diz que os efeitos são realmente mágicos e fascinantes, em conjunto com uma trilha linda e atuação fantástica dos personagens.

Mas conhecendo o mundo Potter real, bem sabemos que esses efeitos impressionam tanto, que o espectador esquece do desfecho real e mergulha na magia dos palcos.

Tive amigos que me confessaram que por vários momentos, fingiram que não ouviram a história para se maravilhar nos efeitos, mas que agora, analisando bem a história, não é um feito digno de JK Rowling.

Não estou dizendo que o livro/peça é ruim e etc, até porque ver o mundo mágico de volta é maravilhoso, mas não consigo ver a história como uma continuação real de Harry Potter.

Não chega aos pés da genialidade de Rowling. Não me prendeu como me prendia antes. Não me fez me apaixonar pelos personagens..

 

Ao contrário de “Animais Fantásticos e onde Habitam”.

clax1rmwkaaukbx

Cadê aquela matusquela?

Imagem de book, Dream, and girl

Precisei ler uns 3 textos meus de 4 anos atrás pra ver o quanto mudei e o quanto o “ser adulto” pode nos tirar o que é de bom nosso.

Era sonhadora, era doce, era decidida e persistente.

Hoje sou insegura, mais confusa e muito mais preguiçosa.

O que aconteceu comigo nesses últimos 4 anos?

Cadê aquela sonhadora de antes?

Não é porque enfim estou vivendo meu conto de fadas amoroso que tenho que me perder das coisas que sou e de quem sou!!

Cadê eu??

Deve estar perdida nos afazeres, dividas, trabalhos e uma nova vida que não é a que eu quero, mas não porque é ruim, mas é porque ainda não me achei nela.

Entretanto, já diziam os psicólogos. O primeiro passo para a mudança, é a percepção do que te incomoda, dai vem a aceitação e enfim você começa a mudar.

Juntos somos um. Juntos somos Brasil!

Demorei um tempo pra entender todos os sentimentos que estão se passando dentro de mim nestes Jogos Olímpicos do Rio 2016, mas acho que só depois de ouvir o nosso grande hino nacional na Medalha de Ouro do vôlei foi que toda a emoção acumulada tomou conta de mim..

Emoção de poder ter ido conferir com todo o medo de não dar conta por causa do ano passado, emoção de ter feito parte da torcida que os conduziu a essa final quando assisti Brasil e Argentina nas Quartas de Final, emoção de sentir a vibração do meu namorado recém formado, desacreditado da profissão e da carreira frente a tantas dificuldades a grande emoção de poderá fazer parte desse sonho de viver uma competição olímpica no quintal de casa.. Cidade Maravilhosa.. Bênção do Cristo Redentor!

Me faltam palavras de tanta emoção..

Só consigo chorar e acreditar que a sementinha foi plantada e com fé em Deus, no esporte e na minha profissão, o esporte mudará mais vidas do que daqueles que ali competiam..

Vidas como de Rafaela Silva que aprendeu seu esporte na favela, dos meninos da ginastica que já tiraram dinheiro do bolso pra pagar os custos do esporte e tantos outros exemplos..

Mas sem esquecer das dificuldades que gente como a seleção feminina de futebol enfrenta como a falta de apoio e financiamento que só é investido no futebol masculino. Não sou ninguém para desmerecer o trabalho deles, mas existem muitas potencias e belezas que nosso pais não vê e não conhece e meu papel como futura Profissional de Educa é estampar esses talentos na cara do brasileiro pra gente vibrar, cantar, festejar e apoiar seja ele da nosso pais, ou um companheiro refugiado!

Viva o esporte!

Viva ao Brasil!

Viva as Olimpíadas!

Viva ao nosso mundão!

Porque já bem diz o slogan desse jogos: “Um novo mundo” e é isso que espero para os meus sobrinhos, filhos, netos..

Juntos somos um. Juntos somos o time Brasil!!

Everything has changed

 

Interessante como meses podem mudar sua vida. Podem mudar seu modo de encarar as coisas e podem mudar atitudes suas.

Posso dizer que a um ano começava um dos piores semestres da minha vida. Semestre com muito estresse, muito chororo, muita ansiedade e horas sem dormir, mas diante de tudo isso, percebi que não merecia e não devia me comportar desse jeito, pois só me definharia mais, sabendo que esse começo de ano seria mais hard ainda com a faculdade.

Foi então que passei férias medianas de verão meditando sobre como iria lidar com toda essa bagunça que seria “o pior semestre da faculdade” segundo os veteranos.

E foi aí que me deu o start.. 

Vou me estressar e procurar ser perfeita em tudo? Não!

Vou me matar sem dormir e ter merrecas de notas? Não!

Vou desrespeitar colegas e xingar sem previsão? Não!

E aí que o baque foi maior.. Quem eu achava que iria me apoiar, na verdade me apunhalou e me fez enxergar verdades que nunca poderia ter enxergado antes.

Doeu? Claro que doeu, mas através disso tudo que estou aqui hoje, plena, satisfeita e muito mais ágil e consciente da minha vida.

Falta uma semana para que a loucura comece novamente. Pode ser que eu não mantenha o feeling do último semestre e possa enlouquecer um pouco, mas aprendi a me organizar, fazer o que posso e o melhor… Respeitar o tempo!

Diante disso, posso afirmar que tive as melhores três semanas de férias da minha vida!

Vi e curti MUITO meus sobrinhos, dormi e descansei bastante, terminei de ler dois livros e to caminhando pro meio de um terceiro, terminei duas series, vi mais de 10 bons filmes e melhor… Realizei coisas inimagináveis e sonhos de criança como ver a tocha olímpica e acompanhar o lançamento mundial de pertinho da saga que mais amo no mundo junto de quem eu amo!

Estou plena e satisfeita com as coisas que tive que viver dentro desse um ano e espero poder aproveitar mais e mais essas oportunidades, sejam boas – que trazem sorrisos -, sejam ruins – que trazem aprendizado.

Dica astrológica

Sem título

Eu sei que esse não é o perfil de post do Mochileira, mas to passando pra indicar um site maravilhoso pra você que é curioso nessas coisas de astrologia, signos, planetas e afins.

Depois de 23 anos de existência, enfim entendi como eu sou e como lido com as coisas da vida, depois que li meu mapa astral completo pelo site Astrolink.com.br

Nunca vi um mapa tão completo e explicadinho como esse e pude analisar aspectos essenciais da minha existência, como o fato de estar aqui escrevendo no blog expressando as minhas confusões, felicidades, descobertas e experiências.

Cada falha, cada detalhe, cada aspecto sobre meu mapa, me fez perceber que apesar dos outros me julgarem, reclamarem e eu mesma ficar me cobrando sobre tudo, faz parte de quem eu sou.

Se tem coisas pra melhora? É CLARO!

Acabei por notar que as coisas que eu achava que era “certo” são aspectos negativos meus que podem ser transformados em aspectos positivos que só farão com que eu seja uma pessoa melhor e evoluída.

Toda a minha confusão, meu 8 e 80 para as coisas. O senso de justiça, o aspecto artístico, econômico e até mesmo todo o egoísmo e prepotência faz parte de mim mesmo, mas através disso, procurarei analisar cada palavra e cada passo meu pra me tornar cada vez mais um espirito evoluído não só para os outros, mas claro… Pra mim mesma!

Eis meu mapa…

natal_wheel

Love story

Eu tento negar e dizer que sou uma pessoa moderna, mas quanto mais velha, mais percebo o meu tradicionalismo.

Falo que não, mas não tem uma coisa que me deixa mais derretida do que histórias de amor verdadeiro.

O sabor da conquista, as descobertas, aquelas briguinhas que sempre terminam com “o final feliz” do beijo apaixonado, da ida louca ao aeroporto ou a surpresa ao chegar em casa.

Vou mentir se negar que não gosto de flores, que não gosto de cartões ou musicas com dedicatória… Fico tão apaixonada! E me derreto quando vejo.

Gosto de ir dormir pensando e relembrando cada pedacinho especial vivido até pegar no sono e se durmo, tento no dia seguinte recontar de onde parei pra não perder a oportunidade de esquecer cada pedacinho.

Cada sorriso, cada mão dada, cada beijo apaixonado…

Me nego, mas fico idealizando o pedido de casamento, como será minha reação, como será a aliança e como ele vai pensar.

Adoro surpresas inesperadas.. Uma chegada em casa surpresa, uma mentirinha boba de que não vai passar em casa mas chega sorrateiro e me dá um abraço pelas costas ou aquela visita inesperada com uma rosa e o abraço cheiroso!

Sou e sempre fui romântica, pena que as vezes esqueço, mas não tem nada melhor do que aquele amor que dá quentinho no coração como uma velha comédia romântica.


4x15

Divulgando a Ciência do Treinamento

Um Travesseiro Para Dois

tudo é especial se quisermos que seja.

Red Pointe - Blog de ballet

Um blog com dicas de ballet, ballet adulto, músicas de ballet (repertório) e muito mais!

Blá

Poesias, Crônicas, Contos

Suspiros & Desatinos

um pouco de amor. um pouco de humor.

Mundo Q

Entre Estantes e Espelhos