“Não vai te deixar entender a coisa toda de sorrir pro mundo e reclamar que anda sozinha.” – Daniel Bovolento

Imagem de girl, sweater, and vintage

Curiosamente estava num momento bem bad desse meu início de férias em que me vi sozinha, sem amigos, sem roles e coisas que pessoas da minha idade normalmente fazem, ainda mais depois do sonho que tive que estava numa festança, cheia de amigos, cheia de sorrisos e cheia de vida, mas me encontrei em casa, no frio, sozinha e silenciosa.

Já estava acreditando que minha vida é uma droga e que nunca fico satisfeita com nada, pois sempre acharei pelo em ovo, mas depois dessa frase percebi que sou assim mesmo.

Uma pessoa sempre em busca de alguma coisa, e mesmo em busca, que sempre quer achar o fim da linha, sempre quer conclusões e resultados, mesmo diante de tanta indecisão que é a minha vida.

Isso responde minha grande inquietação de não saber o que eu quero da vida. 23 anos na costas, quase dois anos de faculdade e só quero realizar meus sonhos infantis de conhecer a Disney, ir pra Londres e quem sabe casar com Daniel Radcliffe.

Mas por mais infantil e estranho, essa sou eu… A velha que parece criança, que age como adolescente e tem pensamento mais adulto do que parece.

São muitos eus pra administrar e me encontro sempre confusa, mas isso faz parte de mim, e no fim das contas eu só quero um colo pra chamar de meu no fim do dia, mas que esse mesmo colo me puxe os cabelos e beije meu pescoço forte nos momentos de mais intensidade.

Dificil lidar comigo? Sei bem como é, mas acho que é esse meu encanto.
Me descobrir sempre e sempre…

 

Advertisements