Penseira: Bacia de pedra rasa, com entalhes estranhos na borda, runas e símbolos. É um recipiente que serve para guardar pensamentos os quais ocupam muito espaço na cabeça de alguém.

Monthly Archives: February 2016

Por Lucas Salles 

Às vezes parece que a maior dificuldade que temos na vida é encontrar algo que nos motive a viver. Eu, que só tenho meus vinte e dois anos, já me sinto cansado.

Não cansado de viver, mas cansado de encontrar tanto problema em viver e nenhuma solução (motivação). E olha que eu não crio problema. Eu só encontro. Se eu criasse problemas, seria, de fato, um problema meu. Mas a única coisa que eu faço para ter esses problemas é viver. Basta viver para ter milhões de coisas com que se preocupar.

E o mundo não coopera muito, né? Cada vez mais a dificuldade de “dar certo” aumenta, cada vez mais tributos e impostos surgem, cada vez mais a insegurança nos amedronta… 

Tá difícil pra quem quer viver. E não estou falando da situação econômica/política/de falta de segurança que estamos vivendo. Não. Tô falando da dificuldade que temos cada vez que abrimos os olhos pela manhã. É óbvio que fazer um texto reclamando sobre a dificuldade não faz com que a própria dificuldade desapareça. Mas, na minha opinião, alguns (eu, principalmente) precisam escrever para não explodirem em sua própria tristeza/depressão momentânea.

“Mas, que dificuldades são essas?”. A dificuldade de não ter mais um pai/mãe do seu lado, a dificuldade de não conseguir um novo (e único) amor, a dificuldade de não conseguir andar com os próprios pés, a dificuldade de aceitar uma traição (seja ela qual for), a dificuldade de se adaptar a uma nova realidade, a dificuldade de conseguir um estágio novo, a dificuldade de conseguir dinheiro para viver, a dificuldade de não saber o que acontecerá amanhã, a dificuldade de saber que ainda falta muito para que algumas coisas que você quer aconteçam, a dificuldade de se criar, a dificuldade de não ter amigos, a dificuldade de não chorar com o filme Forrest Gump, a dificuldade de saber que talvez você tenha feito “algumas” coisas erradas, a dificuldade de não ter seu trabalho reconhecido, a dificuldade de não ter Deus sorrindo para você, a dificuldade de não conseguir engravidar, a dificuldade de não conseguir mais ouvir a palavra “não”…

Eu não queria que as coisas fossem mais fáceis. Não. Assim não teria graça. Só queria que as pessoas fossem mais simples. Por que, no fundo, no fundo, quem complica o mundo somos nós, seres humanos metidos a inteligentes. Todo mundo aqui é burro. Burro pra caralho. Se algum de nós fosse inteligente, estaria morando em Marte. 

Todos nós, seres humanos egoístas e maldosos, somos uns idiotas em relação a vida. Complicamos cada passo que damos. Quando achamos que estamos próximos da felicidade absoluta, na verdade, estamos mais longe da realidade. Nós nos alimentamos de ilusão. E o pior: nós gostamos disso.

Se houvesse um jeito mais simples de viver, independente do dinheiro, do político e da polícia que anda pelas ruas, eu escolheria essa vida. Só para experimentar. Imagine como está a situação para quem não tem como/não sabe escrever. Se a escrita tem o poder de libertar, ela deveria ser regra na vida de todos nós. Um “vício” disfarçado de “hábito”.

Não sei se é a posição dos planetas que faz a gente se sentir assim, nem sei se é a falta de um rockeiro depressivo para representar nossos sentimentos numa música, mas sei que falta algo que nos motive. Urgentemente. Algo que nos faça lembrar que estamos vivos. Temos paixão, Disney, Nutella, mas, mesmo assim, falta algo que nos lembre do nosso real propósito na Terra. Viver. E, é claro, ser feliz. Ou pelo menos morrer tentando.


A realidade da vida adulta me pegou de jeito. Me sacudiu, me pôs na parede e me deu tapas. Tapas de responsabilidade, cobranças, decisões, medos, anseios e achei que tudo bem, faz parte se tornar adulto e tomar conta de sua vida.

Mas me peguei num momento bem crítico de pensamento que me fez refletir um bocado sobre o que é ser adulto e o que é ser evoluído.

Percebi que não tenho mais sonhos, e os sonhos que tinha, a realidade os afastou, me fazendo pensar que estão muito longe no momento, pois preciso resolver meus “problemas”…

Percebi que não consigo pensar numa grande coisa para se realizar, porque a vida me bateu tanto que fiquei fria, com medos demais pra se pensar em fazer algo grande…

Percebi que já “estou velha demais” pra sonhar, porque já já estou com 30 anos é preciso de uma vida estável nos dias de hoje.

No pensamento parece que está tudo certo não é? Que a vida é assim mesmo e terei que fazer tudo isso conforme planejado.

Mas, cara, não é isso!!!

Vocês não têm noção do quanto isso é tão triste.. 

É triste acordar por acordar, é triste passar o ano novo e pensar que será mais um ano na labuta, é triste pensar que não posso sonhar hoje em ir pra Disney, porque tenho uma faculdade pra terminar, é triste… Muito triste!

Onde estão os meus sonhos??

Onde estão os seus sonhos??

O que me move a alma?

O que te move a alma?

Crescer não é parar de sonhar, crescer é evoluir aprendendo com seus erros, APENAS. Não é preciso parar de sonhar, não é necessário!

Sonhar é viver!
Agora preciso ir em busca dos meus sonhos de adulta!

  



4x15

Divulgando a Ciência do Treinamento

Um Travesseiro Para Dois

tudo é especial se quisermos que seja.

Red Pointe - Blog de ballet

Um blog com dicas de ballet, ballet adulto, músicas de ballet (repertório) e muito mais!

Blá

Poesias, Crônicas, Contos

Suspiros & Desatinos

um pouco de amor. um pouco de humor.

Mundo Q

Entre Estantes e Espelhos